O monstro do Feed

monstro do feedEstamos vivendo em tempos de opiniões marcantes desfilando diante de nossos olhos, essas por vezes nos provocando sensações através de palavras que saltam de telas reluzentes. Algumas podem ser legais ou depressivas; e também existem as postagens que provocarão nada menos que apatia.

Algumas vezes sentimos que estamos no controle diante de um post e no outro abaixo já estamos perdidos, afinal precisamos dar a nossa opinião para quase tudo. Mas quando não fazemos isso, temos a sensação de levar aquilo para dentro de nós mesmos e isso certamente será extravasado em conversas aleatórias vindo à tona o sentimento postado. Afinal pense comigo, temos até sugestões de postar carinhas com o que  ‘estamos sentindo’, não é?  ͡( ͡° ͜ʖ ͡°)

Nesse entremeio de opiniões, imagens, selfies e vídeos parece que existe um monstro que vem engolindo todas as expressões, enchendo cada vez mais a sua barriga com palavras, citações e opiniões. Acrescenta-se a possibilidade de compartilhar infinitamente o que já se foi opinado, então entramos em um overloop de informações.

Esse monstro que fica ao final do feed, ironicamente se alimentando do óbvio e da necessidade(?) de novidades e anseios expostos. Como já é conhecido, são poucos os que produzem alimentos para serem consumidos e nas redes sociais e internet não seria diferente, diante de olhos que ora acusa ou curte ver esse monstro do feed se alimentando da produção.

**Recomendação de vídeo e som para leitura por conta da casa.

Pessoas, empresas e associações exigem virais, likes e shares para provar a sua relevância em torno de seguidores, lembrando literalmente o que um seguido deve fazer não importando os meios, seja através de gatinhos ou de vídeos que causam a repulsa o importante é share. De certa forma a popularização e a barriga cheinha desse monstro do Feed para alguns possui retorno benéfico em curto prazo,  mas por outro lado algumas produções tendem a sofrer baixas, veja que várias indústrias necessitam alimentar esse monstro, é o caso da música que precisa estar ser composta, criada e gravada para que seja consumida nesse feed mudando toda a cadeia de vendas de discos. O mesmo se vale para empresas que estão dispostas alocar recursos para o monstro, recomendo esse texto (inglês) que se fala justamente na criação em torno de conteúdos originais estão sendo se perdendo no meio de shares indiscriminados e dos alimentadores do monstro, causando frustração que muitos não sabem explicar como está se dando e fazendo que  empresas e pessoas resolvam dar um tempo nisso tudo.

Então caro monstro do feed, se fosse pra te dar um conselho é que talvez você precise de uma dieta e alimentação balanceada. 

Deixe o seu comentário

*